sábado, 2 de julho de 2016

[TEXTO] Quase 20

Eu gosto de pensar que pessoas leves ainda existam. Que o amor de verdade ainda exista, apesar das minhas muitas maneiras de afastar pessoas e nunca me achar merecedora o suficiente. De vez em quando eu sou bem estourada, e reclamo da vida frequentemente, mas eu sei ser calma e boa - só não encontro pessoas realmente dignas disso. A minha calmaria é a melhor coisa que as pessoas podem ter de mim.
A vida é constantemente uma merda e aos quase 20 anos a gente se dá conta que só piora. Então a gente se despede das cartas não enviadas, das palavras não ditas e começa a querer falar tudo que tem vontade pra n se arrepender depois, esquecendo que tem coisas que realmente é melhor não falar nem engolir, mas deixar ir. Com quase 20 a gente aprende que temos que preparar o guarda-chuva quando já temos conhecimento de certas tempestades. Com quase 20 a gente aprende que nem metade da vida passou, nem metade das pessoas passaram.
Com quase 20 você se vê encurralado num quase nada que você se tornou, onde não há amigos de escola, nem amor pra vida toda, nem emprego que te faça feliz, nem certeza de qual o caminho que você quer seguir.
Por isso tudo que eu gosto de pensar que pessoas leves ainda existam e queiram passar por mim. Porque é o que me mantêm  a esperança. Esperança que ainda se têm aos quase 20. A única coisa verdadeira que se tem.

(Jenifer Alana dos Santos)

Nenhum comentário:

Postar um comentário